1 centavo: Cadê meu troco?

(todo o texto abaixo e o título legal acima é da Dra. Danielle Toste, blogueira amiga – e dona de dois excelentes podcasts – que autorizou a publicação. Eu fiquei só entre parênteses mesmo)

Alguns dias atrás fui com uma amiga almoçar num restaurante aqui perto do escritório, o lugar tinha um placa onde constava o preço único (bem grande diga-se de passagem) de R$10,99. Fui lá, fiz meu prato, e fui até o balcão pegar minha comanda, ai a moça anotou no campo correspondente à comida: “11,00″, na hora de pagar, da mesma forma, me cobraram os R$11,00.

Então vamos lá: eu sei que 0,01 é pouco, é quase nada, muita gente nem se dá ao trabalho de abaixar para pegar se uma moedinha de 1 centavo cai da carteira, mas isso não da a ninguém o direito de pegar seus centavinhos dessa forma, na cara dura. E no fim, é uma grande chatisse você ter que se estressar no meio do seu almoço, para brigar com a pessoa do restaurante, por causa de 0,01 centavo.

E eu nem sequer quero falar da questão legal, e que eu poderia fazer a pessoa cumprir o anúncio (arts. 30 e 35 do CDC), e que a publicidade era enganosa (art. 37, §1º e 67 do CDC) e blá, blá, blá. Mas, de verdade, eu não acho que o problema era eu pagar o 1 centavo, é saber que o restaurante está enganando as pessoas deliberadamente.

Vale lembrar que, normalmente, a finalidade dos preços com final 0,99 é confundir o consumidor, que normalmente só vê as casas antes da vírgula e muitas vezes deixa passar que o produto é quase 1 real mais caro do que ele estava pensando. Mas nesse caso tem outro mal, não é só a confusão do preço, é que o restaurante está deliberadamente ficando com esse 0,01 de diferença. Lembrem ainda, que enquanto muitas pessoas não pedem o centavo de troco quando pagam em dinheiro, no pagamento em débito as moedas não fazem diferença e a pessoa pode muito facilmente passar os 0,99 sem o problema do troco.

E vocês podem até me dizer que 1 centavo não é nada, mas façam as contas: digamos que o restaurante receba 60 pessoas por dia (eu acho que deve ser mais, mas tudo bem), são 0,60 por dia de cada cliente que eles cobram 1 centavo a mais, são mais ou menos 20 dias úteis (considerando que seja um restaurante que atenda mais o pessoal que trabalha na região) no mês da uns R$12,00 por mês, R$ 144,00 no ano. Não é uma quantia absurda, mas acho que também não é nada de se jogar fora. E o que mais me tirou do sério foi que nem esperaram para chegar no caixa para arredondar, a menina teve a coragem de escrever o valor na comanda!!

Então, estou escrevendo isso para vocês refletirem um pouco, sobre os centavos que os fornecedores muitas vezes vão roubando de nós.

Eu não falei nada no restaurante porque não estava com muito humor para brigar por causa de 1 centavo, mas depois me arrependi, porque não é uma questão de contar os centavos, mas de cobrar honestidade! Nós consumidores as vezes ficamos cansados demais para reclamar, ou nos sentimos demasiadamente impotentes, mas acho que o silêncio não apenas não resolve nossos problemas, mas colabora para manter as coisas como estão.

Acho que se todos nós começássemos a reclamar mais dessas coisas, e cobrar o nosso troco, por mais mísero que seja, talvez os fornecedores passassem a repensar essas técnicas malignas.

Anúncios

7 Respostas to “1 centavo: Cadê meu troco?”

  1. 1 centavo: Cadê meu troco? |  Laboratório Jurídico Says:

    […] Site: https://direitoelegal.wordpress.com/2011/03/26/1-centavo-cade-meu-troco/ Fonte: https://direitoelegal.wordpress.com/feed/ VN:F [1.9.6_1107]Salvando…Rating: 0.0/10 (0 votes cast) Adicionar aos favoritos […]

  2. Fábio José Lima Says:

    Olha, este relato me fez lembrar de um outro que conheço que envolve centavos, e por tabela o ponto central do post, cobrança de honestidade para com o consumidor, onde a concessionária fornecedora de energia elétrica do meu Estado passou a enviar Fatura com Aviso de Corte para minha residência, ao chegar procurava a suposta fatura em atraso e via que eles estavam enganados, pois a mesma estava paga, isso passou a ser frequente.
    Uma vez, conversando com meu vizinho ele me relatou que estava acontecendo o mesmo com ele, foi então que prestei mais atenção e vi que eles cobravam R$ 0,10 pelo envio do Aviso de Corte, mas se a minha fatura estava paga, até o vencimento, não tinham o direito de me cobrar pela fatura extra.
    Fiz um levantamento entre os vizinhos e constatei que todos recebiam, isso aconteceu durante uns cinco meses e não tiveram mais esta atitude, mas fica a questão uma empresa daquele porte ser desonesta com R$ 0,10 do cliente…
    Mas de R$ 0,10 e R$ 0,10, alguém sai ganhando…

  3. Didi Says:

    Isso acontece demais! Bancos cobram taxas irrisórias por serviços que, na teoria, já seriam obrigação deles (ou seja, não teríamos que pagar nada a mais por isso), porém, como a taxa é baixa, todo mundo paga e fica por isso mesmo. Certa vez fiz as contas num caso concreto. Eram milhões por mês que o banco ganhava nessa gracinha de oferecer seguro contra o furto do cartão (seguro esse que já é obrigação do banco mesmo).

  4. Jud, o cão Says:

    Novo blog sobre legislação e notícias do mundo animal. Me ajude a divulgar: http://www.jud-acao.blogspot.com

    Lambidas!

  5. Rafael Rivas Says:

    Essa discussão é antiga. Tem até uma comunidade no Orkut muito engraçada que fala “cadê a nota de 0,99 centavos”.

    O intuito ultrapassa a intensão de ludibriar o consumidor. Ora, se é R$ 10,99, então que se cobre o preço propagandeado. Se fosse o contrário, se a escritora do texto fosse ao restaurante todos os dias, deixasse seu 1 centavo lá em todas as vezes que almoçasse, por exemplo, 20 dias por mês, no final seriam 20 centavos pagos a mais. E se ela fosse ao final de um ano de almoços lá e pagasse R$ 8,59 pelo almoço que custa R$ 10,99, deduzindo os R$ 2,40 que pagou a mais ao longo do ano?

    É óbvio que eles não iriam aceitar.

    Mas essa questão aventa muitas outras situações em que somos enganados. E se aquelas letrinhas que passam durantes frames de segundos nas propagandas em que são oferecidos contratos de adesão (como serviços de telefonia e compra de eletrodomésticos – Casas Bahia) fossem em letras garrafais, se fossem divulgadas como realmente são as condições da compra, será que eles teriam o número suficiente de consumidores para continuarem propagando coisas que não cumprem?

  6. Juberlan Covias Says:

    Chatice <<<<< Analfabeto.

  7. Gabrielly Luana Says:

    Concordo com vc, mais tmb quando da 1,90 centavos e a operadora da 2 reais ninguém diz nada, e muitas vezes esse troco nem da empresa é, muitas vezes tira 0,03 centavos de um cliente para pagar 1,97 centavos de outro para fechar 2,00 reais, se ficasse para empresa ate vai, mais muitas vezes nem fica e operadores dão descontos para clientes e no final do dia acaba pagando produtos para os clientes kkkkk, mais a vezes q nao sobra para empresa, e se as pessoas quiserem os centavinhos deviam ajudar tmb com moedinhas dá 100 reais pra trocar 3,75 é muita sacanagem

Comente

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: